O Ponto de Cultura Nina Griô é cuidado por um coletivo formado por educadores, contadores de histórias, músicos, atores, artistas visuais, arteiros-digitais e gestores culturais que integram a Associação Núcleo Interdisciplinar de Agentes de Leitura e Narradores Orais – Nina uma entidade da sociedade Civil sem fins lucrativos.

No Nina Griô todas as linguagens se misturam em rodas de criações de produtos artísticos, tecnologias sociais e práticas pedagógicas. Oficializada em 2008 pelos integrantes do Grupo Narradores Urbanos: Marcelo Ricardo Ferreira, Cintia Elisa Birocchi e Ulisses Luiz Ângelo Junior, o Ponto de Cultura NINA-GRIÔ tem como missão: Estimular experiências potentes com a arte teatral, literatura e a tradição oral na comunidade do entorno da sua sede, para que, ampliando sua capacidade de ler o mundo e a si mesmos possam modificar a realidade local.

Localizado em Campinas, interior de São Paulo, o Ponto de Cultura NINA Griô tem fortes ligações com a Casa de Cultura Aquarela, que ao lado da Tainã, foi uma das treze Casas de Cultura implantadas em Campinas na década de 90. Essa experiência com as Casas de Cultura foram as referências de base na idealização do Programa Cultura Viva, do qual, a principal ação é o Ponto de Cultura.

O Ponto de Cultura Nina Griô tem sua sede no Jardim Bandeira, região sudeste de Campinas, local onde desenvolve ações para a comunidade local como o “Ninos e Ninas”, cursos de diferentes linguagens artísticas e têm em fase de laboratório o “Nina Digital”. Coordena ainda o Programa Petrobrás Criança da Refinaria de Paulínia, cidade vizinha, em parceira com a Casa de Cultura Aquarela e o Clube dos Empregados da Petrobrás, em Paulínia.

Em 2009 a Associação NINA foi selecionada em Edital Público passando a ser reconhecida como integrante da Ação Ludicidade do Programa Cultura Viva e da Rede de Pontos de Leitura do Programa Mais Cultura, passando a integrar e atuar oficialmente na Rede Nacional de Pontos de Cultura.

Em reconhecimento de sua trajetória como contadores de histórias e sua capacidade de atuação junto à educação formal, os Griôs Aprendizes do Ponto de Cultura NINA Griô foram designados para gerir as ações de articulação da Regional da Terra. Como instrumento para cumprir esse desafio o Ponto de Cultura NINA Griô habilitou-se para executar o projeto do Pontão Ação Griô Regional da Terra, num convênio firmado com o Ministério da Cultura.

Anúncios